Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Diaconia 05

diaconia 05

A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum.” (At 4,32)

Um ponto forte nas comunidades da Igreja São Pedro é a solidariedade. Em Cristo somos todos irmãos e, seguindo esse conceito, entendemos que a comunidade é uma grande família unida através de laços de amizade e fraternidade. Ter tudo em comum não é dividir somente bens materiais, mas, sobretudo alegrias e tristezas, angústias e esperanças, conhecimentos e experiências. É buscar força na oração, vencendo os desafios e superando as dificuldades através da ajuda mútua. É saber dividir o fardo tomando as dores daqueles que sofrem e aliviando o sofrimento. Sem exceção, todas as comunidades da Paróquia cultivam a solidariedade e relembram os ensinamentos dos primeiros cristãos: “Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum”.

História

Visando colocar em prática o seguimento de Jesus, no início da década de 80, Padre Sabino reuniu os Agentes da paróquia para proferir uma palestra sobre as atividades de um agente pastoral nas Diaconias. Após o encontro, o padre escolheu a Senhora Maria das Dores Lucas Maricaua para atuar como coordenadora na Diaconia 05. Os agentes pastorais que já desenvolviam trabalhos na matriz paroquial foram determinados a ocupar o mesmo trabalho nas comunidades onde residiam. Desta forma, quatro pastorais deram início às atividades e práticas solidárias na Diaconia 05: Dízimo, trabalho realizado pela visitadora Maria Silva, conhecida na comunidade até hoje como Maria do Dízimo; Catequese de Primeira Eucaristia, que tinha como catequista a própria coordenadora Maria das Dores, Grupo de Jovens JOCIC – JOVENS A CAMINHO DE CRISTO e Círculo Bíblico, realizado pelo agente de pastoral Francisco Sales Lopes Ramos.

Dentre os locais cedidos pela comunidade para realização dos encontros e atividades pastorais, podemos citar o endereço da própria coordenadora, Maria das Dores, situado à Rua Nova, 152; da Senhora Dilce de Souza Santana, mãe das agentes Suely, Keila Regina e Katiana, na Rua Arnoldo Carpinteiro Péres, 220/A; como também, em um terreno situado na Rua Arnoldo Carpinteiro Péres esquina com a Rua Nova. Quando acontecia algum evento com maior proporção, como Primeira Eucaristia e Casamento Coletivo, as celebrações eram realizadas em um terreno situado na Rua Bernardo Michilles, esquina com a Rua Arnoldo Carpinteiro Péres, terreno plano com árvores frutíferas frondosas cujas sombras serviam como templo para as celebrações.

No intervalo de 1980 até 1999, as extremidades da Diaconia 05 eram as ruas 15 de Novembro, Danilo Correia, Benjamin Constant e Virgílio de Barros, incluindo as ruas secundárias Crisanto Jobim, Thomás do Amaral, Coronel Conrado, Rua Nova, Arnoldo Carpinteiro Péres e Bernardo Michilles. A Diaconia 05 era considerada a maior diaconia na época. Segundo relembra a Senhora Maria Silva, ela tomava café às 7 horas em sua residência e saia para a coleta do dízimo, só retornando às 21 horas. Maria Silva conta que almoçava e merendava na casa dos dizimistas. O trabalho era exaustivo, mas tornava-se gratificante uma vez que a comunidade aderia ao projeto do pároco, sendo acolhedora e participativa. Em 2000 houve uma redução na área da diaconia, que passou a englobar somente as ruas Danilo Correia, Virgílio de Barros, Crisanto Jobim, Rua Nova, Arnoldo Carpinteiro Peres e Bernardo Michilles. Até a presente data a comunidade ainda não possui um local fixo para o funcionamento de suas pastorais, sendo estas desenvolvidas nas casas dos moradores e agentes pastorais.

No período entre os anos de 1980 a 1992 coordenaram a Diaconia 05: Maria das Dores Lucas Maricaua (1980 a 1983); Geraldo Soares Pereira (1983 até 1990) e Francisco Sales Lopes Ramos (1990 a 1992). Em 1992 foi escolhida para coordenação a jovem Suely de Souza Santana, cuja caminhada religiosa deu-se a partir de sua Primeira Eucaristia. Após a confirmação da Crisma, Suely começou o seu trabalho como agente de pastoral, sendo escolhida pelo pároco depois de alguns anos para a coordenação da comunidade. Nesse período, houve muitas mudanças na diaconia, então denominada de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Uma dessas mudanças foi a alteração no limite de seu território, que foi reduzido em quatro quarteirões. Os trabalhos pastorais se ampliaram nesta época e surgiram outros grupos: Pastoral da Criança, Pré-catequese, Catequese Familiar, Pré-Adolescente.

Em 1994, aconteceu um grande evento na paróquia: as “Santas Missões Populares”. As diaconias foram divididas em grupos e foram desenvolvidas várias atividades durante as Santas Missões. E o encerramento se deu com a celebração de uma missa envolvendo as oito diaconias desse grupo e foi realizada debaixo de uma tenda de lona, armada em um terreno localizado na rua Bernardo Michilles, esquina com a rua Crisanto Jobim. Durante as Santas Missões também houve a visita de Dom Luiz Soares Vieira às comunidades. A partir daí os encontros pastorais continuaram acontecendo nas casas de alguns agentes pastorais, assim como também o Círculo Bíblico na casa da Srª Maria Câmara, na rua Virgilio de Barros, 901. Com a enfermidade de seu esposo, o estudo passou para o local denominado “Bar Aconchego” situado à rua Bernardo Michilles esquina com a rua Virgilio de Barros cedido pela Srª Lana, cujos filhos participavam da Catequese Familiar.

Vale ressaltar o trabalho da Senhora Lucimar Ramires, técnica de enfermagem, funcionária pública do Hospital Infantil Dr. Fajardo, que no ano de 1995 entra para o quadro de agentes pastorais implantando na diaconia a Pastoral da Criança, trabalho este desenvolvido com muito amor e fé cristã. Após o seu óbito, em fevereiro de 1999, o Jornal da Pastoral da Criança lhe prestou homenagem, citando o famoso pé de abacateiro cuja sombra servia para reunir mães e crianças dessa pastoral, assim como também para os encontros de catequese, pré-catequese e reuniões da equipe de serviço. A Pastoral da Criança foi a que mais se destacou na diaconia, devido o seu intenso trabalho de base. Apenas duas Líderes passaram por essa pastoral, sendo elas Lucimar Ramires no período de 1995 a 1999 e Auristela Brasil Brito, que assumiu após a morte da fundadora e permanece até os dias atuais. A Pastoral da Criança da Diaconia 05 é diferenciada porque atende e acompanha, além das famílias católicas, várias famílias evangélicas.

Em 1999, Suely assume outras atividades na paróquia, sendo responsável pelo grupo da Crisma e Liturgia. Em virtude dos conflitos de horários dos encontros na matriz paroquial e na comunidade, Suely pede seu afastamento do trabalho de base, transferindo a coordenação para Juscilene Castro de Oliveira, que permaneceu entre o período de julho de 1999 até setembro de 2005. Após a saída de Juscilene, Reginaldo Tavares Medeiros assume a coordenação, em Setembro de 2005. Nesse período além das pastorais já existentes foram criados o Grupo de Oração e Vida, a Pastoral do Adolescente, o Grupo Vocacional e o Grupo dos Idosos. As agentes Rosenilde da Silva Ferreira e Raimunda Soares dos Santos Medeiros receberam o Ministério da Palavra e da Eucaristia, respectivamente.

Procurando trabalhar a sua espiritualidade e caminhada na fé, o coordenador Reginaldo, participou de cursos como a Escola de Educação na fé, realizado na Paróquia de São José Operário no período de 06 meses e do I Encontro Intereclesial das CEB’s Regional Norte 1 – Amazonas/Roraima.

Visando melhorar o contato com a comunidade, em outubro de 2007, Reginaldo e equipe de agentes pastorais realizaram um arraial com sucesso nos três dias que antecediam o dia da Padroeira. Recebeu doação de cadeiras de pessoas da comunidade, assim como também foi realizado uma feijoada para angariar fundos para as despesas da diaconia. Houve a visita do Padre Sabino, que realizou os sacramentos da Penitência, Primeira Eucaristia, Crisma de adultos e Casamento coletivo na Chácara Girassol, situada na Rua Bernardo Michilles esquina com Virgilio de Barros. Como o seu horário de trabalho coincidia com os trabalhos pastorais da Diaconia, Reginaldo pediu afastamento do cargo em agosto de 2008.

Precisamente no dia 18 de outubro de 2008, após reunião com o pároco, Pe. Hudson, Carlos Flávio da Silva Barbosa assumiu a coordenação da comunidade. Sua caminhada na igreja, bem como de sua esposa Rosenilde da Silva Ferreira, começou quando o casal teve de freqüentar as reuniões da Catequese Familiar, em 1995 em virtude da preparação dos seus filhos Diego e Jhony para a recepção do sacramento da Eucaristia. Essa família teve como grande exemplo a Sra. Izabel (mãe da Rosenilde), falecida pouco antes do início da preparação dos meninos para a Primeira Eucaristia. Dona Izabel não faltava uma noite aos Estudos Bíblicos: mudava-se de endereço, de horário e lá estava ela. Segundo dizeres da ex-coordenadora Suely, o que a deixava muito feliz era quando conseguia reunir toda a família para o referido estudo, algo difícil de acontecer. Em 1997, Rose, como é conhecida na comunidade, foi convidada a fazer parte da equipe de serviço auxiliando a Líder Auristela, na Pastoral da Criança. No ano de 1999, participaram da Catequese Familiar na preparação da Primeira Eucaristia do filho mais novo Richard. A partir daí, Rose e Flávio começaram a atuar com mais assiduidade das atividades da igreja, assumindo em 2002 a Pastoral da Catequese Familiar, na qual permaneceram por duas turmas e, em seguida, foram remanejados para a Pastoral do Dízimo. No mesmo período assumiram também como agentes da Liturgia.

Um momento de grande solidariedade que marcou a história da diaconia, e da paróquia, no final de 2008 e início de 2009, foi a mobilização e corrente de oração, que envolveu o bairro inteiro, no desejo da recuperação do Jhony Ferreira Seixas, filho do coordenador Flávio e sua esposa Rose, que após um gravíssimo acidente ficou hospitalizado em estado grave, mas que por graça de Deus se recupera. Em função desse acidente, o coordenador Flavio teve de se afastar, ficando em seu lugar Raimunda Soares dos Santos Medeiros.

Em 2009 funcionavam as seguintes Pastorais com os respectivos agentes: Amaziles Soares Brito (Pastoral da Saúde); Antonia Q. Lima de Souza (Grupo Vocacional e Grupo da Melhor Idade); Arliene da Silva de Aguiar (Pastoral de Adolescentes); Auristela Brasil Brito (Pastoral da Criança); Jhony Ferreira Seixas (Pastoral da Juventude); Juscilene Castro de Oliveira (Pastoral do Dízimo); Natércia Brito Reis (Catequese Familiar); Raiane Soares Medeiros (Pastoral Pré-Adolescente); Raimunda Soares dos Santos Medeiros (Coordenação da Diaconia, Ministério da Eucaristia e Catequese Familiar); Richard Ferreira Seixas (Pastoral do Dízimo); Rosenilde da Silva Ferreira (Ministra da Palavra).

Em 26 de fevereiro de 2012 tomaram posse, para um mandato de dois anos, as coordenadoras Antônia Queiroz Lima de Souza e Auristela Brasil Brito.

Coordenações seguintes:

2014: Arliene Soares de Aguiar

2015: Karoline Santos de Lima

2016: Suely de Oliveira Nicácio